16 filmes que todo empreendedor deve assistir

Ninguém disse que ser empreendedor seria fácil. Um milhão de obstáculos parecem surgir no caminho do empreendedor a cada dia. Falta de mão de obra e problemas financeiros podem ser o suficiente para que o novo empreendedor pense em hastear a bandeira branca.

Mas você não deve ser uma pessoa comum: você é um empreendedor. Isso significa que, mesmo quando os tempos são difíceis, você ainda vai marchar rumo aos seus objetivos e seguir em frente. No entanto, quando essa coisa toda de empresário torna-se cansativa e tira seu sono, fazer uma pausa e buscar por alguma motivação é uma tarefa muito necessária. E qual é a melhor maneira de encontrar inspiração do que assistir a filmes? Quer se trate de uma aventura emocionante, uma comédia irreverente ou um instigante documentário, um filme pode inspirar e motivar um empresário cansado e lhe dar quem sabe, novas ideias em que pensar e novos horizontes para onde olhar!

Com isso em mente, exemplifico a seguir os 12 melhores filmes que todo empresário precisa assistir:

1. A Rede Social

Não foi nenhuma surpresa que o filme A rede social foi um sucesso de bilheteria quando foi lançado em 2010. Afinal, todo mundo queria ver como Mark Zuckerberg transformou-se de um estudante de Harvard para um multimilionário da Internet, através do lançamento da rede social mais popular do mundo.

Por que assistir? Não importa se o filme foi superdramatizado. O filme oferece ao espectador uma melhor compreensão sobre como apostar de forma bem sucedida em uma ideia, exibindo qualidades como ser flexível e resistente. Toda vez que assisto a este filme fico motivado a ser um empresário, a ser melhor como empreendedor.

2. O sucesso a qualquer preço

Baseado na peça vencedora do prêmio Pulitzer de David Mamet, este filme explora cruel mundo imobiliário de Chicago e tem um olhar mais atento para as mentiras e traições que algumas pessoas suportam apenas para ter sucesso nos negócios.

Por que assistir? Infelizmente, o mundo dos negócios pode ser brutal, algo que você ainda vai aprender como fornecedor/vendedor/empreendedor. Este filme de 1992 ilustra o quão cruel o mundo dos empresários pode ser.

3. Os piratas do Vale do Silício

Filme lançado em 1999, abrange os primeiros dias do líder do polo tecnológico do país e a eventual ascensão dos maiores nomes da tecnologia moderna: Bill Gates e Steve Jobs. O filme foi criado em estilo documentário e oferece uma interessante abordagem sobre as vidas dos fundadores da Microsoft e Apple.

Por que assistir? Os empresários ainda estão à procura de inspiração a partir destas destes dois icônicos “piratas”. Ele definitivamente fornece fortes lições para qualquer empreendedor aprender, principalmente aqueles que gostam de basear-se nestas bem-sucedidas histórias para ingressar com empreendimentos na área de tecnologia.

4. Cidadão Kane

Mesmo que você não seja um empreendedor, assistir o filme de Orson Welles lançado em 1941 é uma boa pedida. O filme gira em torno da vida de um personagem fictício chamado Charles Foster Kane, um magnata da imprensa (vagamente baseado em William Randolph Hearst e sua famigerada busca por fortuna e poder), que chega a compreender o que é realmente importante na vida.

Por que assistir? Ao lançar um negócio ou empreendimento, é claro que o sucesso é um objetivo de cada empresário, mas não deve ser o único objetivo na vida.

5. À Procura da felicidade

Baseado na história real de Chris Gardner e lançado em 2006, Will Smith é o protagonista principal deste que é um dos filmes mais comoventes e motivacionais para empresários. Chris enfrenta o pior momento de sua vida, desempregado, abandonado pela mulher e lutando para criar seu filho pequeno, acaba não tendo onde morar, mas persegue um sonho que é o que o motiva.

Por que assistir? Mesmo tornando-se um sem-teto, o protagonista esforçou-se para oferecer o melhor para seu filho e nunca desistiu de seus sonhos. Essa paixão e os sacrifícios necessários durante a jornada são algo que todo empresário deve estar disposto a abraçar.

6. O homem que mudou o jogo

Não é necessário ser um fã de beisebol para desfrutar da interpretação de Billy Beane, o gerente geral do time de Oakland interpretado por Brad Pitt. Como a equipe de beisebol não tem dinheiro para investir em jogadores, Beane teve que descobrir uma maneira única de competir.

Por que assistir? Beane tinha que ser inovador. E essa é uma das características mais conhecidas de empresários e empreendedores: descobrir como fazer algo melhor. Além disso, Beane nunca ouviu os pessimistas de plantão e nunca desistiu de tornar realidade os sonhos e objetivos que perseguia.

7. Rocky

Este é outro filme que todo mundo tem que assistir pelo menos uma vez. Sylvester Stallone escreveu e estrelou este filme em 1976 interpretando Rocky Balboa, o campeão de boxe peso-pesado.

Por que assistir? Mesmo quando o mundo diz que você nunca vai ter uma chance de sucesso, continue lutando. Esse espírito competitivo pode levá-lo muito longe.

8. Wall Street: poder e cobiça

 Em 1987, o diretor Oliver Stone fez de Gordon Gekko (Michael Douglas), um dos personagens mais famosos da história do cinema, com seu lema “ganância é bom”. Os centro de filme gira em torno das decisões ilegais e antiéticas tomadas por Bud Fox (Charlie Sheen) para se tornar milionário como Gekko.

Por que assistir? Não se venda apenas por uma questão de dinheiro. Lembre-se que, ser um empreendedor não é apenas tornar-se rico e famoso.

9. Jerry Maguire: a grande virada

O protagonista, Jerry Maguire, interpretado por Tom Cruise, tinha tudo: uma grande carreira, muitos amigos e uma bela noiva. Um dia, porém, ele tem uma epifania: agentes desportivos não devem apenas buscar dinheiro, mas também cuidar de seus clientes. Jerry perde tudo e inicia uma jornada para recuperar tudo o que perdeu.

Por que assistir? Quando você está seguindo o seu sonho, todo o resto pode desmoronar tanto profissionalmente como pessoalmente, aprender com os erros e evoluir com os acertos é onde mora a diferença.

10. Como enlouquecer seu chefe

 Esta comédia de Mike Judge, lançada em 1999, centra-se em Peter Gibbons (Ron Livingston), que descobre o quanto odeia seu trabalho, sentado dentro de um cubículo e recebendo ordens de seu chefe, de quem não gosta, Bill Lumbergh (interpretado por Gary Cole).

Por que assistir? Empreendedores as vezes odeiam trabalhar para alguém e até mesmo, por vezes, acabam indo à extremos para ser demitido: resta saber se isso será uma boa coisa para sua carreira ou se você vai acabar sendo preso.

11. O lobo de Wall Street

O filme, estrelado por Leonardo diCaprio e lançado em 2013, retrata as loucuras cometidas por um homem que até então era simples e humilde, mas que ingressa por vias duvidosas no sucesso, enganando clientes e tirando-lhes o dinheiro, valendo-se por vezes de brechas na lei e outros estratagemas com o puro intuito de granhar dinheiro.

Por que assistir? Negócios ilícitos e escusos podem gerar rápido retorno em um primeiro momento, mas as perdas serão maiores no futuro. O interessante do filme pode ser o fato de que o poder de persuasão pode fazer até o cliente mais desinformado e comprar o seu produto.

12. Os caça fantasmas

Pode parecer estranho um filme como este ser indicado para empreendedores e empresários. Lançado na década de 80, o filme marca 30 anos de história, sendo conhecido por pelo menos três gerações. Um dos fatos interessantes do filme é o atendimento à demanda. O governo, não conseguindo lidar com a quantidade crescente de reclamações de fantasmas, vê uma pequena “empresa” de estermínio de fantasmas cobrar pelos serviços e começar a prosperar.

Por que assistir? Atender a uma demanda com soluções criativas e deixar o cliente satisfeito, ainda pode ser uma boa pedida.

13. Robôs

Sim, uma animação que parece um filme inocente é uma excelente fonte de ideias para empreendedores! O lema do proprietário das Indústrias Grande Soldador é: “Viu a necessidade, atenda!”. Não tem uma melhor frase para defender a ideia de que todo empreendedor pode ser bem sucedido se souber ouvir e atender aos clientes, resolvendo seus problemas, por mais difíceis que sejam. O filme, dirigido pelo brasileiro Carlos Saldanha, retrata ainda a tentativa de modernização das empresas Grande Soldador por parte de empresários mal intencionados que decidem tirar as peças sobressalentes dos robôs mais antigos de linha, o que acaba tornando famoso o robozinho Rodney Lataria, que começa a fabricar peças para robôs fora de linha, atendendo a demanda existente e que foi deixada de lado.

Por que assistir? Iniciativa, escutar o cliente, criar soluções originais para problemas e atender à demanda são as lições valiosas que podemos tirar deste filme. Parceiros que acreditem nos seus sonhos e compartilhem dos mesmos ideais, também são sempre bem vindos.

14. Jobs

É claro que este filme não poderia ficar de fora desta lista. O fundador de uma maiores empresas de tecnologia do mundo, Steve Jobs, teve parte de sua vida revelada neste filme de forma bastante dramática. É interessante ver como blefes podem gerar resultado, ter ambição pode trazer lucro e o lema de “vendo depois crio” é uma constante no universo dos magnatas da tecnologia.

Por que assistir? A Apple não teria sequer saído da imaginação dos nerds na década de 70 se não fosse seu ilustre fundador. Apostar em suas ideias, perseguir um ideal, fazer melhor do que os outros e as palavras chave “inovação” e “paixão pelo que faz” são os lemas deste filme.

15. Guerras da cerveja

Um filme documentário bastante intrigante e interessante para os empresários e empreendedores que tem uma ideia, mas tem medo da concorrência. Se fazer notar em um mercado com empresas já consolidadas pode ser um enorme desafio.

Por que assistir? Mais uma vez, a palavra de ordem é “inovação”. É seu trabalho encontrar uma maneira de alcançar seus clientes de tal forma que os faça perceber que merecem mais – e melhor – e que você pode oferecer isso a eles.

16. Startup.com

Este filme acompanha a ascensão e queda das atartups dot.com govworks.com, fundadas pelos alunos de ensino médio e melhores amigos Tom Herman e Kaleil Isaza Tuzman, como um meio de auxiliar as pessoas a lidarem de forma eficiente com assuntos relacionados a local, de forma online. A empresa que começa com capital zero, chega a $50 milhões em menos de um ano. Mas luta com sites concorrentes superiores e é consumido por uma grande empresa após menos de dois anos de existência.

Por que assistir? O grande drama negócio aqui é totalmente convincente mas deixa uma enorme lição: nem todo o dinheiro do mundo vai levá-lo a algum lugar se não puder confiar em sua equipe e fornecer um produto melhor do que o da concorrência.

 

 

    

Como substituir o MySQL pelo MariaDB nos seus repositórios

Pessoal, pra quem já está adotando o MariaDB como plataforma principal de banco de dados, segue uma forma prática para atualizar seus repositórios.

Você vai precisar basicamente dos pacotes mariadb, libmariadbclient (ou mariadb-clients, depende da sua distribuição) e executar o comando mysql_upgrade para migrar o sistema.

# systemctl stop mysqld
# pacman -S mariadb libmariadbclient mariadb-clients
# systemctl start mysqld
# mysql_upgrade -p

Algumas dependências ainda não foram resolvidas nos repositórios do MariaDB, no entanto essa mudança tem sido gradativa, mas constante e logo tais dependências deixarão de existir.

 

    

Dica do dia: erro “A copy of the C library was found in an unexpected directory: libc-2.15.so not found”

Olá pessoal!

Mais um cenário REAL aconteceu comigo esses dias e pesquisando na Internet sobre o problema vi que muitos fóruns reportam o problema, mas a maioria deles não aponta para uma solução rápida. Eu também não encontrei uma forma de resolver facilmente.

Erro:

A copy of the C library was found in an unexpected directory:
‘/lib/i386-linux-gnu/libc-2.15.so’
It is not safe to upgrade the C library in this situation;
please remove that copy of the C library or get it out of
‘/lib/i386-linux-gnu’ and try again.

O problema aconteceu após a atualização de uma máquina do Ubuntu 12,04 para o Ubuntu 12,10 e que foi mal sucedida. O x não subiu mais, deixando a máquina sem interface gráfica.

Tentei executar os comandos padrão:

sudo apt-get install -f
sudo dpkg --configure -a
sudo apt-get upgrade

Não resolveu.

Fiz o que o erro indicava, ou seja, removi (no caso, por precaução apenas movi pra outro lugar) a lib. Sem sucesso. Quando isso foi feito, nem os comandos cp, mv e derivados funcionaram mais. Copiar a lib de um LiveCD e sobrescrever, não adiantou também.

A solução:

Reinstalar o Ubuntu usando um CD da versão 13.10 e solicitando ao instalador que apenas corrigisse o sistema. Resolveu o problema e os arquivos foram mantidos embora alguns aplicativos deixaram de funcionar e tiveram de ser reinstalados.

;)

    

Dica do dia: como resolver The package ‘postgresql-contrib-8.2′ is marked for removal but it is in the removal blacklist.

Algumas pessoas têm me escrito para questionar sobre uma série de problemas encontrados no momento da atualização da distribuição Ubuntu, causados por pacotes do PostgreSQL quebrados (movidos, desatualizados etc.)

Os erros são:

The package ‘postgresql-contrib-8.2′ is marked for removal but it is
in the removal blacklist.

The package ‘postgresql-8.2′ is marked for removal but it is in the
removal blacklist.

The package ‘postgresql-server-dev-8.2′ is marked for removal but it is in the
removal blacklist.

Tais problemas com a versão 8.2 do PostgreSQL provavelmente foram causadas por conta de o pacote original ter sido movido de local, uma fonte não oficial foi adicionada no arquivo sources.list etc. Vários problemas podem ser acontecido, que impedem que os arquivos do PostgreSQL sejam localizados.

A solução:

Meu cenário foi real, uma das minhas máquinas usando Ubuntu 12.04 encontrava-se com o mesmo problema. Sendo assim, talvez a minha saga para encontrar a solução ajude os incautos (embora minha solução seja meio que uma força bruta..rs).

Em primeiro lugar, faça o purge dos aplicativos problemáticos (isso irá desinstalar o PostgreSQL do sistema, sendo assim, se você o utiliza, faça um backup dos seus bancos de dados antes!)

dpkg --purge postgresql-contrib-8.2
dpkg --purge postgresql-common
dpkg --purge postgresql-client-common
dpkg --purge postgresql-server-dev-8.2
dpkg --purge postgresql-8.2

No momento de remover o pacote principal (postgresql-8.2), obtive o seguinte erro:

root@venus:/home/flaviajobs# dpkg –purge postgresql-8.2
(Reading database … 409322 files and directories currently installed.)
Removing postgresql-8.2 …
/var/lib/dpkg/info/postgresql-8.2.prerm: 17: .: Can’t open /usr/share/postgresql-common/maintscripts-functions
dpkg: error processing postgresql-8.2 (–purge):
subprocess installed pre-removal script returned error exit status 2
update-rc.d: warning: postgresql-8.2 stop runlevel arguments (0 1 6) do not match LSB Default-Stop values (S 0 1 6)
Errors were encountered while processing:
postgresql-8.2

Tentei então com o apt-get:
sudo apt-get --purge remove postgresql-8.2

Mas obtive o erro sub-process /usr/bin/dpkg returned an error code (1).

Preferi então partir para o hard-mode do que ficar me matando pra entender o motivo disso (não tenho paciência vai…rs): fui até o diretório /var/lib/dpkg/info e deletei todo seu conteúdo, afinal esse diretório armazena somente informações sobre os aplicativos instalados com o comando dpkg.

Executei o comando para remoção do postgresql-8.2 novamente e obtive a mensagem:

root@venus:/var/lib/dpkg/info# dpkg –purge postgresql-8.2
dpkg: warning: there’s no installed package matching postgresql-8.2

Isso é um sinal de que o aplicativo fantasma nem mesmo estava instalado…rs

Executei novamente a solicitação de instalação do novo release (eu faço isso pela linha de comando):

do-release-upgrade -d

E chegamos ao resultado:

Do you want to start the upgrade?

27 packages are going to be removed. 306 new packages are going to be
installed. 1813 packages are going to be upgraded.

You have to download a total of 2291 M. This download will take about
16 minutes with your connection.

Installing the upgrade can take several hours. Once the download has
finished, the process cannot be canceled.

Continue [yN] Details [d]

Whoohoo! :)

Espero que funcione para você também e qualquer coisa, me mande um email: fjobsATlinuxmagazine.com.br

 

    

Instalação (descomplicada) do ambiente Android no Ubuntu

Este post é voltado para os desenvolvedores que, como eu, enfrentaram ou enfrentam problemas na hora de instalar o ambiente Android no Ubuntu.

Os problemas encontrados são vários: SDK que não pode ser baixado corretamente, emulador que simplesmente não abre, ADT que não pode ser configurado etc.

Após algumas tentativas fracassadas de instalar um ambiente Android funcional em minha máquina de trabalho com Ubuntu 12.04, decidi começar do zero e resolver os muitos problemas que enfrentei anteriormente. O passo-a-passo que efetivamente funciona você vai encontar a seguir!

Peço comentários informando se esta solução funcionou para você ou se foi necessário realizar alguma configuração ou passo adicional!

  1. Em primeiro lugar, é necessário baixar o SDK completo do Android para Linux e na sequência descompactá-lo. Isso pode ser feito diretamente através do comando wget:
    wget http://dl.google.com/android/android-sdk_r20-linux.tgz && tar -xvf android-sdk_r20-linux.tgz
  2. Em seguida, adicione o caminho para o SDK no PATH do sistema:
    export PATH=${PATH}:~/android_dev/android-sdk-linux/tools:~/android_dev/android-sdk-linux/platform-tools
    Onde: android_dev pode ser qualquer pasta no seu sistema. Se for utilizar outro nome, por favor altere este diretório.
  3. Para que o sistema encontre o caminho para o SDK mesmo após a máquina ser reiniciada, informe ao bash onde está o SDK:
    echo -e ‘\nexport PATH=${PATH}:~/android_dev/android-sdk-linux/tools:~/android_dev/android-sdk-linux/platform-tools’ >> ~/.bashrc
    Lembrando novamente que se for criado um diretório diferente de android_dev em seu sistema, esse local deve ser modificado.
  4. Se estes passos forem seguidos corretamente, seu SDK já deverá responder ao comando android. Digite no terminal e veja se o Android SDK Manager é executado corretamente.
  5. Uma vez que o Android SDK Manager responde corretamente, é hora de instalar o Eclipse. Simplesmente o faça pelo aptitude, instalando a versão corrente do repositório do seu Ubuntu: sudo aptitude install eclipse
  6. Digite novamente no terminal o comando android ou então, no Eclipse, vá até Window/Android SDK Manager para instalar os SDKs para os quais você deseja desenvolver.
    Android-SDK-Manager-_002
  7. Caso esteja instalando versões novas, aceite os termos e aguarde o download e posterior término da instalação.
  8. Agora é hora de instalar o ADT – Android Developer Tools. Para isso, no Eclipse, vá até o menu Help/Install New software. Clique no botão Add para que possamos informar o item desejado. Na tela que será aberta, digite no nome algo que identifique estaá ação como ADT Plugin, por exemplo. Cole o seguinte link, que é o local padrão de instalação do ADT mais atual lançado pelo Google, para Eclipse: https://dl-ssl.google.com/android/eclipse/. Clique em OK.
    Resource-Eclipse-Platform-_005
  9. Será exibida uma caixa de diálogo contendo os itens disponíveis para serem instalados. Selecione NDK Plugins. Avance deixando o restante das opções padrão, aceite os termos de licença e clique em Finish.
  10. Quando a instalação for concluída, reinicie o Eclipse.

Logo após reiniciar o Eclipse, é necessário configurar o Plugin ADT, de forma que possamos criar emuladores de dispositivos Android realmente funcionais para cada versão do Android. Estes serão imprescindíveis para testar seus aplicativos criados no Eclipse. Lembrando que, para cada versão do Android determinados recursos estão (ou não) disponíveis, esse passo é fundamental.

  1. No Eclipse, vá até Window/Preferences e selecione a opção Android.
    config_adt
    No local chamado SDK Location selecione o local onde previamente descompactamos o SDK Linux, clicando no botão Browse. Uma vez apontado o caminho, clique em Apply para aplicar as alterações. Note que todas as versões para as quais você irá desenvolver são exibidas nesta tela. Caso você queira instalar novas versões, basta voltar até o SDK Manager e instalar outras versões.
  2. De posse do ADT configurado, vamos efetivamente criar os emuladores baseados nestas versões de Android instaladas pelo SDK. No Eclipse, vá até o menu Window/Android Virtual Device Manager (o famoso AVD). Nesta tela você poderá criar quantos emuladores desejar, para a mais diversas versões de Android. clique em New para criar um novo emulador. Selecione o nome, o tipo de dispositivo mais aproximado para o qual você irá desenvolver e lembre-se de um item importante: a memória do emulador.
    - Ponto 1: emuladores com menos de 50mb de memória simplesmente irão te ignorar e não vão abrir (no Windows as vezes abrem)
    - Ponto 2: o emulador se comporta MUITO MAL em máquinas lentas. Então invista em um computador decente para desenvolver para Android.
  3. Uma vez criado o emulador, clique em Start para iniciá-lo, apenas para testar se sua execução está correta. Se o emulador abrir corretamente o sistema operacional Android, fique feliz, tudo está funcionando!

Para testar qualquer aplicativo no emulador, é possível utilizar os Android Samples. Crie um novo projeto de exemplo do Android, clicando em File/New/Other/Android/Android Sample Project e clique em Next. Selecione a versão do Android que deseja (lembrando que o sistema irá procurar pelo emulador correspondente para testar este aplicativo). Clique em Next e selecione um dos diversos aplicativos de exemplo que o Android possui por padrão. Uma vez selecionado, clique em Finish e o execute no emulador! Se tudo sair como deve, o emulador correto irá abrir e o aplicativo de exemplo selecionado será executado!

Espero que estes passos resolvam o problema para usuários Linux que desenvolvem para Android. Agradecimentos ao meu instrutor de Android, Roberto Rodrigues Júnior, palmeirense roxo e que me disse a frase: “Configurar o ambiente Android no Linux é um saco!”.

    

Gerador de nomes criativos para domínios, blogs ou sites

Como todo bom ser humano (e principalmente em se tratando de seres humanos da área de TI) se vale pela lei do menor esforço, penso que este deve ter sido a motivação por trás da criação de alguns sites e ferramentas online para a geração de nomes legais para blogs e sites.

Há até sites que geram nomes legais para domínios e inclusive verificam se estes domínios estão disponíveis para registro.

Economiza um tempo, neurônios e é claro, pode até te dar uma ideia que você não havia tido antes…

Confira alguns dos sites que podem te ajudar a ter uma grande ideia para o nome do seu blog:

Wordoid

Este é um dos sites mais populares em se tratando de geração de nomes legais para blogs. Através de palavras-chave que os usuários podem determinar, o sistema gera nomes legais em vários idiomas (mas por lá ainda não chegou o português). Vale a visita.

Online Generator

Taí um gerador completo. Pode gerar desde nomes legais para blogs e domínios até mesmo nomes para projetos e empresas! Achei criativo, principalmente pelo gerador de nomes de piratas (hoar!) e nomes do mal. Vale visitar a dar uma mexida nas ferramentas disponíveis.

SpinXo

Ainda bem que já estamos acostumados com nomes de sites esquisitos. O SpinXo é um gerador de nicknames e que potencialmente pode ser usado para gerar nomes interessantes para domínios e blogs. Visite.

Impossibility

Outra boa ideia para a geração de nomes de domínio. Basta selecionar uma palavra que você deseja que apareça no nome do domínio e escolher se quer adjetivos no inínio ou fim da tal palavra escolhida. A ferramenta só busca por domínios que estão disponíveis para registro.

Blungr

Mais um nome estranho para um site :D . Mas também bem feito e bem bolado. Escolha duas palavras que você quer que apareçam no domínio e o sistema busca por domínios ainda não registrados e que contenham as suas palavras-chave. No meu teste, a ferramenta ignorou a segunda palavra…

Randomainer

Basta apenas informas um único termo para que a ferramenta crie inúmeras combinações de domínios. Pode gerar boas ideias.

Se você conhece algum outro sistema que realize tarefas parecidas, nos conte!

http://online-generator.com/On
This entry was posted in Uncategorized on by .